tdah logo

cleide heloisa partel

Sono interrompido: Insônia, ansiedade e TDAH

Por Jamie Talan

Jéssica é muito "endiabrada" durante o dia e a maioria dos que a rodeiam suspiram como se pensassem "que o dia promete, mas à noite o sono estará garantido". Ahhh! Sono e tranqüilidade. Mas na realidade muitos pais de crianças com TDAH dizem que a noite é cheia de agitação, falta de descanso e falta de sono, e a calma depois da tempestade não é tão tranqüila quanto os pais esperariam que fosse.

Em outras palavras, os fatores biológicos que ajudam a caracterizar uma criança com TDAH não acabam às 21h.

(...)

Há pesquisadores que estudam a possibilidade de que, devido à falta de sono, a irritabilidade, a hiperatividade e a falta de atenção do TDAH pode piorar.

(...)

"Crianças com TDAH são tão "elétricas" e demoram muito tempo para desligar seus motores" disse o Dr. Gabrielle Carlson, diretor de psiquiatria de crianças e adolescentes na State University of New York em Stony Brook. "Parece que seu nível de energia está lá em cima o tempo todo".

(...)

Segundo Corkum, da Mount St. Vincent University em Halifaz, Nova Scotia, curtos períodos de sono são um problema que geralmente merecem mais atenção. "Se sua cabeça está "correndo" é muito difícil ir dormir".

(...)

Os pesquisadores também atentaram para evidências da síndrome das pernas inquietas. Pessoas que tem essa síndrome descrevem-na como uma incômoda sensação – formigamento, tremor, puxões ou contrações que começam logo depois que dormem e as obrigam a mexer as pernas.

Alguns investigadores acreditam que existe uma ligação entre a síndrome das pernas inquietas, TDAH e a falta de dopamina do cérebro. Ela regula os movimentos, assim como o comportamento e o humor.

Certamente as crianças ou adolescentes que demoram muito para dormir têm grandes dificuldades para levantar de manhã. De fato, as crianças com TDAH dormem mais que as outras crianças, sugerindo que elas precisam de mais sono para integrar e guardar informações no sistema cerebral, o qual Tannock diz que é sobrecarregado durante o dia.

Ela tem visto pais "arrancarem seus cabelos" tentando fazer seus filhos dormirem.

São várias solicitações, que estão longe de ser cumpridas. "Crianças que tem TDAH tem dificuldades para se organizar e fica difícil fazer tantas coisas em tempo oportuno".

(...)

Qualquer um que já tenha alguma vez perdido o sono sabe que no dia seguinte a concentração cai, acontecem lapsos memória e um estado de "lentidão" é comum.

(...)

Pesquisadores em Sydney, Austrália, estão juntando diferentes linhas de pesquisas para entender TDAH e os problemas do sono. Dr. Arthur Teng e seu colega, Grant Betts estão estudando 50 crianças na unidade médica de sono no Sydney Children’s Hospital. A teoria deles é que essas crianças estão excessivamente inquietas, excêntricas e incontroláveis simplesmente porque estão sendo privadas de um sono saudável.

Os pesquisadores estão testando crianças diagnosticadas com leve TDAH antes e depois de receberem tratamento para os problemas do sono para verem se os sintomas comportamentais melhoram. Os problemas comuns do sono entre essas crianças: ronco e apnéia, o que interrompe a respiração. Eles acreditam que amídalas grandes e adenóides podem causar a apnéia do sono e a periódica perda de respirações durante a noite.

(...)

"TDAH é uma condição de 24h, atravessando o dia e o sono", disse Lynne Lamber, co-autora de "The Body Clock Guide to Better Health" (Guia do Relógio Biológico para Melhoria da Saúde). Durante o recente encontro do sono, ela escutou pesquisadores franceses descreverem como o uso de Ritalina e remédios similares durante o dia paradoxalmente diminuem a atividade durante o sono.

Dr. Ronald Chervin é diretor do centro de distúrbios do sono da University de Michigan e um pioneiro especialista em TDAH e sono, diz: "Há possibilidade do relógio biológico das crianças e adolescentes que têm TDAH, isto é, o controlador interno que nos diz quando dormir, ser quase imperceptível". Um estudo recente de Reut Gruber do Instituto Nacional de Saúde Mental em Bethesda disse que crianças com TDAH tem um horário de sono mais variado do que as crianças que não tem esse distúrbio de comportamento. Gruber descobriu que crianças que não têm TDAH pegam no sono praticamente na mesma hora, dentro de 40 minutos de luzes apagadas.

Crianças e adolescentes com TDAH têm grandes diferenças nos horários de dormir, duas ou três vezes maior que os que não tem TDAH. O estudo foi publicado na edição de abril de American Academy of Child and Adolescent Psychiatry.

Crianças precisam de 9 a 11 horas de sono por noite, e isso não é necessário que um cientista diga.

Ninguém sabe porque humanos precisam do sono e no mínimo um terço de seu dia. Existe uma grande evidência de que o sono é retroativo: o corpo precisa de algum tempo todos os dias para processar as atividades do dia. Cientistas descobriram que sonhos, que ocupam algum espaço do período de sono chamado Rapid Eye Movemente ou REM (sono profundo), são importantes para o aprendizado e memória.

Rosemary Tannock adverte aos pais de que o melhor jeito de evitar problemas do sono é assegurar que o tempo de se filho(a) na cama seja prazeroso.

(...)

Os pais têm que mostrar a seus filhos que eles estarão sozinhos enquanto dormem, dar as recomendações necessárias 10 min antes. Certificar-se se a criança sente-se segura e aproveitar o resto do tempo em atividades prazerosas. Faça disso uma rotina relaxante.

ADDitude Magazine Feb/Mar 2005