tdah logo

cleide heloisa partel

M.G.L. jornalista, empresária - Finalmente um tratamento adequado!

Em 2003, depois de conhecer pelos veículos de comunicação os sintomas do TDAH, percebi que poderia ser a explicação para muitos problemas que vinha enfrentando e busquei um renomado neurologista da USP, com o objetivo de fazer uma avaliação e chegar a um possível diagnóstico. Depois de fazer uma série de exames, como eletroencefalograma entre outros, ele "concluiu" que eu não era portadora do TDAH, principalmente porque, segundo as palavras dele, "-um portador de TDAH jamais teria condição de entrar em uma seleção de mestrado" como eu, que havia acabado de entrar na Faculdade de Saúde Pública da USP.
Busquei outros tratamentos, sem resultados significativos.

Em 2009, com minha vida pessoal e profissional desabando, me submetendo a um trabalho que não tinha nada a ver comigo, me vi no "fundo do poço" e com o resto de forças que me sobravam me auto-diagnostiquei novamente como TDAH. Encontrei o site da Dra. Cleide Heloisa Partel, que para mim, é o portal com informações mais importantes sobre o transtorno, onde pude me encontrar e buscar novamente ajuda, enfrentando mais uma série de desafios.

Dessa vez, o diagnóstico foi preciso. Afinal, nada melhor que uma especialista na área, estudiosa incansável e também TDAH para entender o nosso complexo e fascinante Universo.

Dra. Cleide me apresentou a um mundo novo, depois de enfrentar tantos desafios, em função dos sintomas que teimavam em me transformar em uma ET, pude enxergar o mundo sob um novo prisma. Quando a gente sofre muito, ao se deparar com a luz e à nova vida proporcionada pós-tratamento, qualquer nascer do dia, anoitecer ou ouvir uma simples canção podem se transformar num pedacinho de céu aqui na Terra.

Hoje, me conhecendo cada vez mais, estou reaprendendo a viver... É um passo de cada vez. Mas, um passo preciso, confiante e responsável, de quem agora voltou a sonhar e planejar sua vida, deixando de ser dependente e refém dos outros, do mundo, como era antes.
Hoje assumo a responsabilidade por mim e pela minha vida, resgatei minha confiança em meu potencial.

Dra. Cleide, obrigada por tudo! E refaço aqui o meu pedido: por favor, escreva um livro que será com certeza um grande instrumento para a melhoria da qualidade de vida de milhares de portadores de TDAH que não têm o privilégio, como eu, de serem seus pacientes.
Seria muito bom que ninguém mais perdesse anos de suas vidas buscando por um diagnóstico como aconteceu no meu caso e pior, na ilusão de estar sendo tratado corretamente.