tdah logo

cleide heloisa partel

benefícios

Hiperfoco

Na verdade no TDAH (DDA) não há déficit de atenção e sim, uma inconstância na atenção: a pessoa com TDAH (DDA) costuma ter um hiperfoco em tarefas nas quais há motivação e/ou desafio.

Criatividade

O indivíduo com TDAH (DDA) está geralmente distraído, ocupado com estímulos de todas as direções, gerando um pensar caótico, sem prioridades. Muitas vezes faz drama por pequenas coisas: é a chamada mente hiper-reativa: a pessoa pode até parecer calma externamente mas por dentro há sempre um turbilhão de idéias, de sentimentos dominando-a.

Esse pensar bombardeado por mil idéias, já é natural no indivíduo, já faz parte dele. Apesar de todo desgaste que esse caos provoca, pode ajudá-lo no processo criativo e dele podem surgir muitas idéias inovadoras. A impulsividade e hiperconcentração (vindas da motivação) geram muita energia que pode levá-lo à concretização da criação.

É fundamental que as pessoas aprendam a canalizar sua energia criativa, colocando-a em prática. Muitas passam a vida inteira tentando, outras conseguem, como foi o caso de:


Albert Einstein
Começou a falar tarde, tinha raciocínio lento e baixo rendimento escolar, detestava ter que decorar matérias, sendo alfabetizado apenas aos 9 anos. Possuía uma perfil intuitivo e visionário. Mais tarde, visualizava fenômenos nos quais colocava hiperfoco, criando a Teoria da Relatividade.


Leonardo da Vinci
Escrevia de trás para frente, característica de canhotos e disléxicos. Embora tenha contribuído com inúmeras obras geniais, deixou muitas inacabadas.


Thomas Edison
Era considerado mentalmente atrasado pelos professores.
Sua mãe o educou sozinha.


Salvador Dalí

Walt Disney

Agatha Christie

John Lennon

John F. Kennedy

Steven Spilberg

Robin Williams

Tom Cruise

Dustin Hoffman

Kirk Douglas

Napoleão Bonaparte

Mozart